sábado, 7 de janeiro de 2012

A Eternidade de Cristo atestada (a contragosto) pelas Testemunhas de Jeová!!!

E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade...
Miquéias 5:2

O estudo da Divindade de Cristo é um estudo fantástico! Nesse post trago algumas breves reflexões sobre a origem de Cristo, segundo a Palavra de Deus e alguns dos raciocínios dos Testemunhas de Jeová sobre esse tema! Espero que sejam reflexões úteis a todos vocês!

Para ter acesso ao texto apenas clique no link "Mais informações" logo abaixo

Graça e Paz!!!



A Eternidade de Cristo atestada (a contragosto) pelas Testemunhas de Jeová

Todas as pessoas têm direito a acreditarem naquilo em que quiserem! Isso é um fato e uma pressuposição em toda a minha forma de encarar qualquer crença e religião, seja a minha, seja a de outros, e respeito essa liberdade e não tenho por objetivo coagir ninguém a crer naquilo em que não crê!
Entretanto, as religiões cristãs crêem possuir a verdade e o mandato divino para pregar essa verdade às outras pessoas e nessa relação entre cumprimento da missão e conteúdo da missão (o que devemos pregar ao mundo como verdade?) existem complicações naturais entre os grupos cristãos que entendem e praticam suas "verdades" de forma diferentes, opostas e antagônicas entre si.
É dessa realidade que surge a necessidade de estudar os pontos de vistas diferentes dos nossos com coração aberto ao Espírito Santo para apreciar as qualidades que possam nos enriquecer e para perceber os enganos que poderiam nos seduzir caso não fôssemos atentos à direção da Palavra de Deus sobre nossa compreensão da realidade espiritual.
Dentro dos grupos que mais atraem críticas sobre algumas de suas posições doutrinarias estão: os Testemunhas de Jeová, e isso se dá por uma extensa gama de razões. Analisarei nesse texto algumas poucas questões relacionadas com a questão sensível da Divindade de Cristo.
Adquiri há algum tempo um exemplar do livro “raciocínios à base das Escrituras” e uma “Tradução do Novo Mundo das Sagradas Escrituras” e às vezes me detenho a estudá-los e esse texto que agora escreve é fruto de um desses estudos.
No livro “raciocínios,” precisamente na página 123 existe uma pergunta: “Será que Deus teve começo?” e a resposta se inicia com uma citação do Salmo 90:2, e prossegue com algumas declarações filosóficas a respeito da “lógica” de se crer em Deus, e etc.
O que me chamou a atenção foi o a citação do salmo, que na tradução deles diz assim: “Antes de nascerem os montes... de tempo indefinido a tempo indefinido, tu és Deus”.
Os testemunhas de Jeová usam expressões diferenciadas para termos bastante comuns e bem conhecidos para criarem uma “identidade única” na mentalidade de seus adeptos ou interessados. Essa é a razão do procedimento incômodo de se traduzir “Eternidade” por “tempo indefinido”.
Mas respeitando essa tradução podemos concluir que no Salmo 90, no verso 2 Deus Jeová é (existe) desde o tempo indefinido no passado até o tempo indefinido no futuro, ou seja Deus é antes de todas as coisas, e existirá para sempre!
O livro “raciocínios” diz que “nossa mente não pode compreender isso plenamente, mas isso não é uma razão sólida para o rejeitar.”
Portanto se reconhece a limitação da criatura humana e finita em compreender as questões relacionadas à eternidade (tempo indefinido), mas afirma que não devemos negar que Deus é Eterno em direção ao passado e ao futuro.
Entretanto temos outro texto bíblico onde essa expressão “tempo indefinido” é usada, e que coloca ali, no tempo indefinido, na eternidade, a pessoa de Cristo (a contragosto dos Testemunhas de Jeová)!!!
“E tu, Belém Efrata, pequena demais... de ti me sairá aquele que há de tornar-se governante em Israel, cuja origem é desde os tempos primitivos, desde os dias do tempo indefinido” (Miquéias 5:2)
Aqui está um texto que eles não desejariam ler na Bíblia! E usar o termo “tempo indefinido” não atenua a questão, pois da mesma forma como Jeová é (existe) de tempo indefinido (no passado) a tempo indefinido (no futuro), assim a origem do Messias que nasceria em Belém seria nesse mesmo “tempo indefinido” no passado.
O texto nada fala da origem do Messias como alguém gerado (por Jeová) no tempo indefinido! Mas fala de que o Messias que nasceria em Judá teria origem eterna, em “tempo indefinido,” ou seja na eternidade: um tempo onde apenas Deus existia!


Pretender que Miquéias 5:2 falaria de uma geração de Cristo por Jeová na Eternidade (no tempo indefinido) é uma atitude de torcer a Palavra de Deus de forma que ela afirme o que não está dito! E isso poderia abrir o caminho para a compreensão que Deus é (existe) desde os tempos indefinidos no sentido de "ter surgido" na eternidade no passado (não sabe-se como!!!).
É óbvio que as Testemunhas argumentam sobre essa questão com sua lógica carnal, peculiar, e indisposta a ouvir/aprender, e dizem que essa origem do Messias não significa que Jesus é eterno, mas esse é apenas um subterfúgio para se fugir à implicação cristalina à qual o texto bíblico nos conduz!


Seria como dizer: "O texto bíblico que exige que amemos uns aos outros (joão 13:34-35) não "prova" que precisamos de amor nos moldes de 1 Corintios 13 uns para com os outros, ele exige apenas que gostemos uns dos outros tanto quanto possível" A simples ousadia de se fazer uma afirmação desse tipo, nem de longe "prova" que tal raciocínio seja verdadeiro!!!
Quando confrontadas com a questão da “origem eterna (em tempo indefinido) de Deus (Jeová),” elas dizem que mesmo que isso não possa ser entendido, isso deve ser aceito. Mas quando confrontadas com a questão da “origem eterna (em tempo indefinido) de Cristo,” elas afirmam que isso ‘não é lógico, nem pode ser aceito.”
Entretanto isso é perigoso, pois ao atestar da Eternidade de Jeová eles são cuidadosos e respeitosos quanto aos limites da compreensão e das afirmações humanas sobre “o tempo indefinido (a eternidade),” mas quando falam de Cristo eles pretendem conhecer essa tempo indefinido de forma profunda e afirmar que foi nesse tempo, e “antes de todas as [outras][1] coisas (Colossenses 1:17)” que Cristo foi criado pelo Pai, Jeová, e isso como uma simples criatura em absoluta distinção de Si mesmo, tornando João 10:30 incompreensível do ponto de vista humano!
Portanto, de forma simples pode-se dizer que Salmo 90:2 encontrou uma acolhida submissa e crente por parte dos Testemunhas de Jeová e suas implicações sobre as origens eternas de Deus como um Ser sem início ou fim, mas Miquéias 5:2 encontrou uma acolhida insubmissa, arrogante e pretensiosa por parte daqueles que se submetem à Palavra de Deus somente naquilo que lhes convém e que de alguma forma diferencia sua religião diante das outras, como se isso fosse sinal de serem o povo único e distinto de “Jeová”!
No livro “raciocínios” os autores tentam se desvencilhar da conclusão óbvia de que Cristo é Eterno “à luz de Apocalipse (revelação) 3:14” onde se fala do “primogênito da criação.” (página 401) o que, portanto, indicaria que Miquéias 5:2 não “prova” da eternidade de Jesus na ótica de quem não deseja crer na eternidade de Jesus Cristo!
Nessa “tentativa de fuga” os autores do livro em defesa da compreensão dos Testemunhas de Jeová apenas esqueceram de mencionar que existe precedente onde a Palavra de Deus usa o título “primogênito” não em sentido cronológico. Manassés foi o primogênito (que nasceu primeiro) [Gen. 41:51], mas Efraim, seu irmão mais novo, é que é  chamado/reconhecido por Deus como “primogênito” [Jeremias 31:9]. (Confiram na Tradução Novo Mundo...).
Não existe nenhuma correlação temática ou linguística entre Miquéias 5:2 e apocalipse 3:14, e é inútil apelar para o último livro da bíblia para “provar” que Jesus Cristo não é Eterno segundo o livro do profeta Miquéias!!! São discussões totalmente separadas!
Portanto, ao traduzirem Miquéias 5:2 da forma como traduziram, os Testemunhas de Jeová atestaram a Eternidade da origem do Salvador que nasceria em Belém, Jesus Cristo. Mas fizerem isso a contragosto!
Abram os olhos!


[1] Esse colchetes com a palavra outra em Colossenses 1:17 (conforme a Tradução Novo Mundo das Sagradas escrituras) é uma adição interpretativa [e não uma tradução legítima do termo panta nesse contexto] e não existe no texto original grego, portanto representa um esforço de mudar o que o texto bíblico afirma com clareza: que Cristo é antes de Todas as coisas, e não antes de todas as [outras] coisas.

Um comentário:

Jeferson Raapack disse...

Eu não sou testemunha de jeová mas em que mesmo que miqueias prova "tempo indefinido"?
`owlam yowm qedem (direita para esquerda):
qedem = do começo
yowm = 24 horas (mesma palavra de genesis na criação - "tarde e manha")
`owlam = para um futuro sem fim
Tudo o que o texto fala é:
"desde o começo na fundação do mundo que não terá fim"
Não existe um texto na bíblia que use eternidade "indefinida" para Cristo... sempre de um início para a eternidade. "Tornou-se Deus por Deus"... Não entendo a necessidade de transformar Cristo num usurpador do trono do Pai; quem almejava isso era Lúcifer. Deus Pai é que é eterno (tempo desconhecido), Deus Filho (eleito pelo Pai) tem um início para a eternidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...