quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

A Natureza Humana de Jesus Cristo: O Salvador teve natureza pecaminosa?

 Sabeis também que ele se manifestou para tirar os pecados, e nele não existe pecado.
1 João 3:5

Para ouvir esse sermão apenas clique em Play


A época do Natal é uma oportunidade que deve ser aproveitada para a pregação da pessoa de Jesus Cristo. Nesse sermão exploro a questão da humanidade de Jesus Cristo dentro do adventismo à luz da pergunta sobre a "natureza pecaminosa" relativamente ao salvador da humanidade. Desejo que essa mensagem seja veículo de iluminação a todos que a estudarem com o coração aberto para o Senhor Jesus.


Graça e Paz!!!

3 comentários:

Jamison Nascimento Santos disse...

Olá,
Sou estudante bíblico há algum tempo, e tenho recebido conceitos e revelações lógicas, coerentes, contundentes sobre as práticas e crenças adventistas; entre outras coisas, admiti a legitimidade da guarda do sábado e desde então tenho o observado; mas continuo intrigado, e não consigo formular uma lógica, encaixar as ideias que expliquem a expressão que de que Jesus ERA Deus. Antes, eu sempre acreditei que Jesus era o filho de Deus, criado por Ele, e que deixou de habitar os céus pra se materializar como homem; quando em João se lê: "e o verbo era Deus", interpretei como que Jesus expressava na humildade, na sabedoria, na impecabilidade, no conhecimento sobre a natureza humana e os meios de libertação e salvação da alma, e principalmente nos propósitos, um caráter idêntico ao de Deus, como se eles não fossem independentes, como se não fosse possível adorar a Jesus sem antes crer em e adorar a Deus, não havia como reconhecer e servir a Jesus sem antes reconhecer ao pai e servi-lo; e portanto, nunca vi implicação grave em crer que Jesus era FILHO de Deus, mas não o próprio Deus, já que mesmo assim eu renderia louvor a ambos, já que estão reunidos em propósito (mas não materialmente, em um mesmo corpo). O que reforça essa minha impressão, é o fato de Jesus se referir diversas vezes a Deus como pai, por destacar que seus feitos foram realizados com a permissão do pai, por chamar a atenção para o pai, por dialogar com o pai (como é possível dialogar em oração com Deus, sendo ele o próprio Deus?), quando crucificado se volta aos céus e pergunta "pai por que me abandonaste?" (como pode se perguntar a ele mesmo sobre isso?).
Gentilmente, ajude-me a compreender essas questões; elas são feitas com a melhor das intenções e com toda sinceridade e humildade. Obrigado pela atenção!
Jamison N. Santos jamison58@ig.com.br

Ezequiel Gomes disse...

Olá amado. Se você tem dificuldade em "formular uma lógica" que explique a expressão "era Deus" tirada de João 1:1, tudo bem. Mas essa dificuldade não pode esvaziar o texto bíblico da sua força. O verbo estava com Deus e o Verbo era Deus (1:1) e o Verbo se fez carne (1:14). O texto não diz, o verbo estava com Deus e era o FILHO de Deus e se fez carne... Quanto às outras inquietações sobre a relação entre Cristo e o Pai elas não oferecem problemas quando se entende a noção na Pluralidade na Divindade, o que permite relacionamento entre todos os membros dessa Divindade. Conversar, Interceder, Amar, Respeitar e etc... Tudo isso entre os 3 membros da Divindade, sem nenhuma dificuldade. Um abração

shi fu xandy disse...

AMADO JAMILSON, VOCE ESTA CORRETISSIMO, UM DEUS NÃO PODE PEDIR AJUDA DE OUTRO DEUS.!! QUANTO A JOÃO 1 ; 1 NAS BIBLIAS MAIS ANTIGAS ESTÁ ESCRITO ASSIM , ATÉ MESMO NA PECHITA, HEBREICA. DIZ LÁ. " NO PRINCIPIO ERA O A PALAVRA E A PALAVRA ESTAVA COM DEUS, E DEUS ESTAVA COM A PALAVRA" E ESSE VERÇO DESTROI TOTALMENTE A MENTEIRA DA TRINDADE. POIOS ESSE VERÇO MOSTRA CLARAMENTE SÓ DUAS PESSOAS NA CRIAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...